Ouvir

Márcia Freire- Ah Como eu amei.

Márcia Freire- Ah Como eu amei

  • Compartilhar

Comentários

Não há resultados!

Qrcode

Descrição

Nascida sob o signo de Sagitário (20/12) essa baiana, natural de Salvador, descendente de italianos e índios do Mato Grosso do Sul, começou muito cedo a demonstrar seu talento para música. Desde os cinco anos de idade, Márcia assistia aos programas de calouros, a exemplo do saudoso Chacrinha, e ficava horas em frente à televisão disputando com os calouros que se apresentavam nestes programas. O tempo passou e Márcia nunca deixou de lado a paixão pela música e cada vez mais se preparava para se tornar uma cantora, não lhe escapando uma oportunidade para soltar a voz, mesmo se fosse nas brincadeiras com os colegas, concursos de música, festivais etc. Levada por amigos para cantar às escondidas, pois para os seus pais ainda era muito novinha para encarar a vida artística como profissão, Márcia iniciou sua maratona de apresentações em barzinhos e pequenas festas da cidade até a sua primeira grande chance no Carnaval da Bahia por volta de 1985, puxando pela primeira vez um bloco com trio que se chamava Free-lance. No ano seguinte, surgiu o convite que mudaria por completo a vida artística de Márcia, o ano era 1986, mês abril, e lá estava "Márcia Freire" integrando a Banda Cheiro de Amor, que naquela época chamava-se "Pimenta de Cheiro". Entre julho e agosto de 1987, a Banda grava o seu primeiro disco intitulado "Pimenta de Cheiro", e durante os anos seguintes, outros discos e o crescimento da Banda, e é claro de Márcia, que a essas alturas já havia realizado vários sonhos de criança, tendo inclusive o encontro com o Velho Guerreiro Chacrinha numa das apresentações da Banda Cheiro de Amor em seu programa "Buzina do Chacrinha". Em 1996, Márcia decide deixar a Banda Cheiro de Amor e partir para a carreira solo, pois naquele momento de sua vida, ela apenas queria ter o total controle sobre o seu trabalho, daí veio à separação. Sendo uma das maiores estrelas da música baiana e com uma bagagem adquirida como vocalista da Banda Cheiro de Amor a qual comandou durante dez anos, Márcia continua sendo uma das principais atrações dos carnavais fora de época pelo Brasil e Exterior a exemplo do primeiro Carnaval realizado no México na cidade de Cancun "O Carnacancun". Quatorze discos gravados, sendo quatro de carreira solo e vários prêmios de reconhecimento ao seu talento. Na voz de Márcia Freire, músicas como Pureza da Paixão, Auê, Macarena, Baiana Merengueira, Tema do cheiro, Doce Obsessão, Lero Lero e os hits Vermelho (sensação do festival de Parintins e do festival do Avante em Portugal) e ainda Subir Ladeira, Maravilha, Nó de Marinheiro, Dá Dá Carinho, marcados pela interpretação vigorosa da artista, viraram sucesso. Inúmeras participações em trilhas sonoras de sucesso, como a do seriado Malhação da Rede Globo, Casa de Samba, Axé Bahia, Axé Brasil e várias outras coletâneas. Com a estrela brilhando como nunca, Márcia, grava pela ABRIL MUSIC, o seu 4º CD solo "Timbalayê" superproduzido pelo experiente Mauro Almeida. O disco que promete ser um divisor de águas na carreira da Rainha do Agito, não abandona o suingue baiano, característica marcante da cantora, mas apresenta-a mais madura e muito mais versátil, passeando pela MPB, pela Salsa e pelo Soul. Márcia Freire surpreende como intérprete, dando voz a clássicos como "Só quero um xodó" de Luiz Gonzaga – e outros "achados" do arquivo nacional a exemplo de "Como Alcançar Uma Estrela" de Miltinho e Edilberto e sua primeira música de trabalho "Sartando Dessa" de Cláudio Zóli. Retornando à Banda Cheiro de Amor em Junho de 2001, atendendo aos pedidos dos fãs, a cantora colocou sua voz em mais dois discos e no mês de Setembro de 2003, decidiu seguir uma nova carreira solo. Atualmente fazendo bastante shows e cheia de planos e estratégias para 2014.

Anúncios


All right reserved - Copyright © 2014 - Developed by Hassan Azzi - powered by - Termos de Serviços - Privacidade - História da Música - Contato